sábado, 23 de abril de 2016

Corrija seu filho! Não deixe que ele te domine!



ASSISTA AO VÍDEO ACIMA

Um dos maiores erros cometidos na nova educação das crianças, incitada por certos pedagogos e psicólogos, é retirar a disciplina da educação. Essa nova pedagogia dá a entender que a criança se desenvolverá sozinha, e não deve ser reprimida para não gerar traumas. Porém, a criança precisa ser corrigida, e negar isso é entregá-la a uma possível personalidade...

Para entendermos melhor, a psicologia vai nos ensinar a cerca dos chamados condicionamentos, que podem ser clássicos, ou operantes. No condicionamento clássico, se faz uma ação, para que a criança fique condicionada a toda vez que houver aquela ação, ter uma reação (que esperamos); já no condicionamento operante, diante de um ato da criança se faz uma ação, seja para incentivar que se repita ou para que não o faça novamente. Exemplificando: uma criança que está aprendendo a comer sozinha, ao acertar a condução da colher à sua boca, você faz reação para motivá-la a continuar aquele ato (comer só), então diz coisas como "muito bem; parabéns; que lindo(a)!, etc"; a criança gostando dos elogios, estará condicionada a repeti-los. Porém, se a criança faz algo de errado, muitas vezes até colocando sua vida em risco (colocando dedo na tomada, por exemplo), faz-se uma reação que a desagrade, para condicioná-la a não repetir aquele ato, por não querer aquela reação que lhe desagradou. São exemplos desse tipo de condicionamento operante algumas broncas, tapinhas, castigos tais como proibir videogames por um tempo, etc.

O uso dos condicionamentos sempre existiram. Porém, nos dias atuais podemos constatar que existe uma gama de pais que, muitas vezes (des)orientados por pseudo profissionais da educação e da psicopedagogia, se recusam a aplicá-los, muitas vezes sob a desculpa de não traumatizar a criança, de que ela (criança) se desenvolverá sozinha, etc. 

Só que tem um pequeno detalhe: se você não usa o condicionamento contra o seu filho, ele não temerá usá-lo contra você. A criança fará algo de errado, não havendo uma reação que lhe desagrade, ou seja, que lhe discipline, ela estará condicionada a sempre fazer o que bem quiser, pois saberá que não tem punição. Ela pode tudo. Sabe aquelas crianças birrentas? Então, em suma são frutos dessa falta de disciplina. Claro que há casos e há casos... Mas veja só: uma criança pede uma coisa para sua mãe, esta recusa; a criança então põe-se a fazer um chilique, de tal modo que a mãe - desesperada, coitada! - diz "tá bom! tá bom! Pega logo e cala a boca!". Sabe qual o resultado disso (principalmente se for repetido)? Essa criança estará condicionada a achar que toda vez que quiser algo e receber um NÃO como resposta, basta ela fazer o famoso chilique que conseguirá. Acredito que a maioria de vocês, caros leitores, foram criados com uma educação mais rígida. O que você ganharia se fizesse chilique? Pois é. Hoje, não, os pais são dominados pelos filhos. Ai do pai e da mãe que não compre tablet, celulares de última geração, etc, para o(a) filho(a) de três anos. Três anos!

A criança cresce birrenta, cheliquenta, e estendendo o tempo do pensamento egocêntrica (até os 7 anos mais ou menos) para as outras etapas do desenvolvimento. Basta olhar para os nossos jovens para ver o resultado dessa nefasta educação. Os adolescentes de hoje, mais do que nunca, são sensíveis, ofendidos por tudo, não aceitam nãos como resposta. Um dos motivos é porque foram criados numa atmosfera onde se tinha tudo, e diante dos erros não se houve disciplina. Para o bom desenvolvimento da criança e do adolescente, é preciso ensiná-lo a conviver com os Nãos, afinal, todos nós sabemos que nunca teremos tudo o que queremos, na hora que queremos, e tão pouco da forma que queremos. 

Enquanto alguns profissionais disseminam suas ideias de que não se pode disciplinar as crianças, crescem o número de pais que são dominados - sufocados, diria - por seus filhos. Enquanto você pai, você mãe, segue esses ensinamentos de um construtivismo doentio (ela se desenvolverá e aprenderá tudo sozinha, no seu tempo, não aplique condicionamentos - dizem esses pseudo profissionais), seu filho te domina, e mais na frente quando "o bicho pegar", você provavelmente fará algumas perguntas: onde eu errei? Por que essas crianças de hoje são tão rebeldes? Bom, muitas vezes o problema não está nas crianças de hoje, mas nos pais de hoje. Muitas vezes se fala em dar para os filhos tudo aquilo que não tiveram, e esquecem de dar aquilo que tiveram: disciplina, amor, presença. Ora, se a disciplina que você foi submetida saia do condicionamento para o espancamento, não é por isso que você deva fazer mau uso do condicionamento, seja repetindo os mesmos erros espancando os filhos, seja não aplicando punições alguma. Nem tanto ao mar, nem tanto a terra. Discernimento!

Para você entender melhor sobre o que estou falando no condicionamento operante, recomendo que leia o post Palmadas nos filhos: pode ou não?

Entenda que quando a imagem fala em "trauma psicológico" está usando da ironia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário