terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

As infelizes roupas e atitudes de alguns padres

              A paz irmãos e irmãs em Cristo Jesus. Gostaria de falar aqui sobre os sacerdotes; que são essenciais para a nova vida católica, afinal sem eles com teríamos os sacramentos? Mas infelizmente não venho apenas elogiar, mas fazer uma exortação perante a algumas calamidades que têm se alastrado dentro da Igreja. Os nossos padres precisam ter postura e se comportarem como tal, e não como um leigo. E o triste é que as vezes como um leigo que nem pratica a fé. Querendo ou não esse tanto de padres que são meio “frios” são frutos dos planos da Nova Era, que é destruir a Igreja, e por dentro. Já diria o Papa Paulo VI (se não me engano) que a fumaça de satanás entrou dentro da Igreja. E essa fumaça para se espalhar “melhor” tem feito sua “fogueira” dentro dos seminários, e com isso formando sacerdotes despreparados. É óbvio que não são todos (GRAÇAS A DEUS), porém, existe um número considerável de padres e seminaristas que tem o intuito de acabar com o sagrado. E outros que faz isso sem nem mesmo se atentar.
            Começando pelo vestuário, é incrível como as profecias de aparições de Nossa Senhora tem se revelado quanto a isso. Tanto na parte dos leigos que usariam modas mundanas, quanto aos sacerdotes e religiosos que deixariam suas vestes para vestirem roupas comum. Ora, quando não se está celebrando a Missa, como identificar um padre? Quando a pessoa recebe o Sacramento da ordem, se doa por inteiro nas mãos de Deus. Tanto que, da mesma forma que o matrimônio, este é indissolúvel (mesmo com infelizes casos de padres que largam a batina). E muitos largam a batina ainda quando exercem o ministério de sacerdote. Ou vai me dizer que nunca viu um padre como se fosse um qualquer na sociedade? Eu já vi entrevistas que tinha um frei, que usava roupa normal, e pensei que era um leigo; só me atentei quando vi o nome embaixo. E olha que freis tem a fama de serem mais rígidos. Neste caso não me importo muito, pois se tratava de um entrevista de um triste fato de profanação. Mas existem tantos outros que largam a roupa de padre, como alguns padres “midiáticos”, que as vezes além de largar a batina largam o nome de padre. O Padre Fábio de Melo, por exemplo, tinha CD em que estava escrito apenas “Fábio de Melo”. Podem dizer que não tem problema, ou que pode “atrair” protestante, etc., mas não é bem o caso. Um primo meu me informou que minha avó paterna – que é protestante – tem o Cd do PADRE Fábio de Melo, e diz que ele não é mais padre porque não tem nem nome, nem roupa de padre. Ai vos pergunto caros irmãos: aproxima ou afasta da Igreja?
            Lembro-me que na minha infância, antes de eu ter me afastado terrivelmente da Igreja, eu nas Missas sempre ia na sacristia pedir a benção pro padre. E ele sempre estava vestido como padre. Era lindo ver como todos os padres se vestiam como tais. Claro que tem momentos em que pode dar uma “liberada”, mas tem padre que acha que só em alguns momentos deve usar a rouba de padre. Este último só quando celebra a Missa, a casula no caso, ou se não for solene só a túnica mesmo. A situação às vezes pede que seja mais simples, mas também existem padres que se pudessem celebrariam de camiseta e bermuda. Aí se muitos sacerdotes fazem isso, quanto mais os leigos sem conhecimento nenhum. O Código de Direito Canônico tirou a obrigatoriedade do uso do véu; no entanto, tem mulher que acha que tirou o uso da roupa, e vão para a celebração eucarística quase que como veio ao mundo. Ai junta com um padre que não esta zeloso quanto ao seu ministério, ai ocorre o grande pecado do abandono do sacerdócio por opção de “casamento”. Afinal, um padre também tem sua sexualidade, por isso ele precisa impor respeito, e a sua roupa de padre serve pra isso. Ai chega uma mulher não muito virtuosa, vai confessar com o padre que se parece com um amigo, ou até com alguém que ela tenha tido um relacionamento amoroso, ai acaba sendo instigado pelo demônio a ambos caírem no tremendo pecado.

Pe. Marcelo Vieira Junior - Santo Antonio GO
            Querendo ou não, um padre que se veste como padre, verdadeiramente está exercendo zelosamente seu ofício. Um grande exemplo é São Padre Pio. Alguém tem foto dele sem o seu hábito? Eu não tenho. Este homem amava seu sacerdócio, e zelava até o último ponto da lei. Nos dias de hoje, a maldita Teologia da Libertação com influencia Marxista e Comunista, além de destruir a Liturgia e todo o sagrado, tem destruído os sacerdotes mantedores do sagrado dentro da Igreja. Graças a Deus ainda existem sacerdotes que fazem do seu sacerdócio uma excelência ofertada a Deus. Ainda temos os sacerdotes, prediletíssimos filhos de Nossa Senhora, que ainda ouvem Suas profecias. Um exemplo é o Padre Paulo Ricardo. Alguém aqui que assiste seus vídeos já o viu sem batina? É lindo de se ver um PADRE se vestindo como PADRE! - Mas talvez eu seja criticado, caluniado, e até dizendo que to falando mal dos sacerdotes. Mas desde já aviso que amo tanto o sacerdócio, que faço essa exortação mesmo sendo leigo, porque não quero que o sagrado seja destruído pela fumaça de satanás. – Lembro de um caso interessante que ocorreu em Santo Antônio do Descoberto – GO, que foi um vigário correndo para acolher as pessoas que estavam sendo oprimidas pela polícia após uma manifestação. Gente, a coisa mais linda do mundo ver um padre vestido com sua batina correndo pra defender seus fiéis. Ele se destacava no meio da multidão justamente porque um padre tem que ser o destaque de uma comunidade; destaque de santidade, humildade, de fé. Vocês acham que o caso teria mais ou menos repercussão se fosse um padre “bombadinho”, com camiseta apertadinha, bermuda, etc.,? Se brincar nessa descrição achariam que era o “Cléber BamBam”. As pessoas seguiram o padre para a Paróquia, porque viram e confiaram nele como padre. Aliás essa confiança e respeito que tem faltado da parte dos fiéis para com os padres é algo bem claro. São vários os motivos, mas a falta de um vestuário decente juntamente com a falta de submissão total ao Sumo Pontífice são exemplos. O Padre Paulo Ricardo – só pra exemplificar – (aliás acho que foi ele) disse que estava no aeroporto – com sua linda batina de PADRE – e uma pessoa pediu para se confessar; ele confessou, e deu a absolvição. E pasmem: essa mulher estava prestes a ir suicidar-se, e viu o padre e foi se confessar, com isso desistiu do suicídio. Será que teria desistido se não tivesse padre? Ou melhor, tivesse mas não o enxergasse. Porque um padre sem roupa de padre continua sendo presença de Cristo em nosso meio, só que um Cristo camuflado, e eu não tenho dom de perscrutar coração pra saber quem é ou não padre.
            Muitos falam que assim se vestem pelo fato de que facilita a evangelização; principalmente dos jovens. Será mesmo? Vejam, se fosse tão saudável a Santíssima Virgem não teria já alertado quanto a isso. O Beato João Paulo II foi um Papa jovem e que sem duvida evangelizou e tirou das garras do demônio muitos jovens. E por acaso João Paulo II precisou tirar a batina para isso? (Como tem padre que não só renuncia a batina, como renuncia o nome e a postura de “padre”) Por acaso João Paulo II precisou inventar moda na Liturgia da Missa para que cressem em Jesus Eucarístico? Por acaso João Paulo II secularizou e profanou o sagrado para causar efeito na sociedade que não era cristã? Não! Este bendito Papa, foi santo e fiel a Deus completamente. Apenas fez o que o mestre Jesus lhe ordenara. Às vezes acho que um padre que se sente tão bem usando roupas seculares na maioria dos dias, deve ser porque não se sente bem com o sacerdócio, sendo para ele um escândalo. Coragem filhos prediletos da Virgem Maria, mostrem ao mundo aquilo que vocês são: TODOS DE CRISTO! Vocês não precisam ser padre isso, ou padre aquilo, sejam apenas PADRES, pois não precisamos de Missa disso ou missa daquilo, precisamos apenas da SANTA MISSA. Sede santos padres, sou leigo, mas sou um leigo que ama e reza pelo sacerdócio. Todos devem rezar pelo sacerdócio, afinal sem ele não haverá nem o matrimônio para os que são chamados a isso.
           

Frei Josué

Padre Paulo Ricardo





















Bento XVI na JMJ Madrid


Beato João Paulo II





















Papa Bento XVI - meu Papa é jovem sem tirar a batina.
Uma última consideração: João Paulo II era chamado de "o Papa Pop". Veja que pra ser pop ou grande evangelizador em massa não é preciso fazer nada além do que ser aquilo que Deus sonhou que fosse. O "pop" não precisou ser o comum pra ser aceito junto com seu Senhor.

Um comentário:

  1. Concordo plenamente. Quer ser padre? QUe seja direito! sempre falo isso: abrace sua missão. Abrace aquilo que Deus preparou pra vc... ficar disfarçado como um leigo faz a maioria pensar que eles não têm orgulho do que faz. e olha que digo isso com tamanha convicção pq já ouvi pessoas dizerem que estar dentro da igreja católica e no mundão da na mesma!
    Isso ao mesmo tempo que nos chateia, deve nos servir de lição e motivação pra combater as fumaças.
    paz e bem

    ResponderExcluir